Notícias

Turismo de aventura para o benefício de UCs, visitantes e comunidades

Com o objetivo de propagar experiências de parcerias e melhores práticas apresentadas no III Seminário de Boas Práticas e I Fórum Internacional de Parcerias na Gestão de Unidades de Conservação, apresentamos a proposta de boa prática “Aventurando-se em rede: Implementação de turismo de aventura e base comunitária no quilombo da Tapera a partir de parcerias”. Essa iniciativa é fruto da parceria do ICMBio, IBAM (unidade executora do projeto Parcerias Ambientais Público-Privadas – PAPP), e IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas. Acompanhe!

A comunidade quilombola da Tapera, localizada na Área de Proteção Ambiental de Petrópolis e no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, situa-se em um local de grande vocação para o turismo de aventura, podendo consolidar-se como meio de geração de renda para a população, em uma concepção de uso público mais distributivo. Por conta disso, a proposta de boa prática “Aventurando-se em rede: Implementação de turismo de aventura e base comunitária no quilombo da Tapera a partir de parcerias” foi idealizada pela APA Petrópolis para retomar a agenda propositiva de ações previstas no Plano de Manejo da unidade, em especial das suas zonas mais restritivas. Pretende-se ainda, com este projeto, constituir e consolidar parcerias.

Entre as ações previstas estão a estruturação de trilhas de mountain bike, montanhismo e vias de escalada, favorecendo a comunidade com infraestrutura para atendimento a turistas e visitantes. De acordo com Priscila Franco Steier, servidora do ICMBio no PARNA Petrópolis, planeja-se construir um espaço que contará com restaurante, loja de artesanato e cozinha para atender a demanda diária do entorno, e sala para reuniões e eventos da comunidade:

“A prática tem a intenção de proporcionar geração de renda para a comunidade da Tapera e comunidades nos arredores como Jacó e quilombo do Areal, que também teriam seus produtos comercializados no empório. Esta iniciativa não só aproxima mais as comunidades com a unidade de conservação, potencializando novas parcerias, como demonstra para a sociedade a viabilidade da categoria APA como catalisadora de processos sustentáveis de inclusão social aliados à conservação da natureza. Além disso, a proposta inova na maneira como o turismo de aventura será agenciado na região, ao trazer o protagonismo comunitário e a inclusão social como fim e meio, aproximando esta população com os usuários das unidades”, explica Priscila.

Ainda de acordo com Priscila, a prática pode ser amplamente replicável para outras unidades de conservação enquanto ação de turismo de base comunitária. O PARNA Serra dos Órgãos e a APA Petrópolis, por exemplo, possuem diversas comunidades rurais na área do “Caminho da Serra do Mar”, roteiro que busca sua consolidação nos últimos anos. E, a partir das lições aprendidas por esta prática, o “Caminho do Mar” pode ser planejado para trazer inclusão social e protagonismo comunitário para o centro de seus objetivos e valores, replicando a prática em comunidades rurais no interior e entorno dessas UCs. “A prática servirá como modelo para que o ecoturismo e o turismo de aventura destas UCs sejam pensados a partir da perspectiva do turismo de base comunitária. Outra dimensão replicável na escala das UCs envolvidas é a atuação complementar das equipes em relação à visitação, potencializando a expertise dos servidores e as diferentes missões de cada unidade”, finaliza Priscila.

Resultados esperados da prática proposta

•Roteiro de turismo de aventura (MTB, montanhismo, escalada) implantado e sinalizado;

•Realização de capacitação em gestão e empreendedorismo;

•Complexo cozinha-empório multifuncional, pátio multifuncional e redário instalados;

•Produção de material de divulgação do roteiro;

•Projeto para futura ampliação do roteiro de aventura e ecoturismo;

•Fortalecimento da gestão integrada das UCs locais (APA Petrópolis, PARNA Serra dos Órgãos, Parque Municipal das Montanhas de Teresópolis);

•Institucionalização de plataforma colaborativa de parcerias e atuação em rede com universidades, organizações da sociedade civil e poder público.

Para mais informações sobre boas práticas e parcerias, acompanhe o nosso Facebook aqui!

Foto: Ernesto V. Castro.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
0 comentários ‹ Voltar

Você precisa fazer o para publicar um comentário.

Aguarde...