Notícias

Projeto do Parna do Itatiaia é destaque em site argentino

Fonte: ARQA Internacional

O projeto de Parcerias Ambientais Público-privadas – PAPP visa estruturar e promover a aplicação de modelos de alianças ambientais público-privadas, visando ao uso sustentável do potencial econômico e uso público de unidades de conservação com interesse na melhoria da gestão e conservação da biodiversidade. Ele foi desenvolvido pelo ICMBio e pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), sob a responsabilidade executiva do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM) e do Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal. Por meio do PAPP, a empresa Natureza Urbana elaborou um Projeto Básico e Estudo de Viabilidade para Parcerias no Parna do Itatiaia e apresentou algumas considerações, divulgadas no site argentino ARQA Internacional. Confira!

O Parque Nacional do Itatiaia tem grande importância ambiental e histórica – é o primeiro parque nacional do Brasil e seu território está localizado em uma região estratégica, entre os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, e próximo a São Paulo. Recebe milhares de visitantes por ano e é um dos dez parques nacionais mais visitados do Brasil.

O parque é dividido em três setores: Baixo, Alto e Visconde de Mauá. Cada setor tem diferentes características e atratividades, incluindo atrações naturais, como cachoeiras, rios e formações rochosas, e outras turísticas, como o Centro de Visitantes e um museu. Especialmente devido a sua beleza natural, o parque possui um grande e diversificado potencial turístico, que inclui diferentes roteiros.

A parte inferior do parque corresponde a uma área de vegetação de Mata Atlântica úmida, densa e de fértil floresta de montanha, localizada entre os vales do Paraíba e as escarpas da parte sul da Serra de Itatiaia, possuindo belas piscinas naturais e cascatas. É o setor mais procurado para visitação devido ao fácil acesso e à boa estrutura de apoio aos visitantes.

Já a parte alta, é caracterizada por campos, maciços rochosos e vales por onde nascem vários rios na região. Possui atrações como Morro do Couto, Pedra do Altar e Pico das Agulhas Negras, sendo este último o quinto ponto mais alto do Brasil. Seu principal potencial turístico é a prática de esportes radicais, escalada de montanha e ecoturismo, com base nas várias vias de escalada e trilhas locais. O setor de Visconde de Mauá está inserido no polo turístico da cidade de mesmo nome, estando algumas atrações da região dentro do parque. É um núcleo ainda não estruturado, mas tem um grande potencial turístico.

O conceito das infraestruturas do projeto é dado através da definição dos sistemas construtivos e materiais, de forma a criar estruturas funcionais que tenham uma proposta de identidade, relacionando sempre o lugar com a técnica. Como conceito geral, destacam-se: o uso de elementos de arquitetura vernacular, a integração com a natureza, e os elementos de arquitetura bioclimática, modular e sustentável.

Devido às particularidades de cada setor, as soluções conceituais do projeto são diferentes para cada um deles, contextualizando com as condições naturais e climáticas de cada localidade. Na Parte Inferior, o conceito traz características como verticalidade e texturas de madeira, rochas e elementos verdes. Na Parte Superior, o conceito é baseado na implementação de edifícios com o menor impacto possível na paisagem, lembrando rochas camufladas e priorizando a visão de montanhas e picos.

Atividades de hospedagem, alimentação, controle de acesso e cadastro de visitantes, transporte, estacionamento, comércio, educação ambiental e aventura, e contemplação da natureza foram projetadas, bem como trilhas suspensas, mirantes, tirolesas e decks, com o objetivo de promover uma relação única entre os visitantes e a natureza.

As soluções construtivas são baseadas em sistemas pré-fabricados, materiais duráveis ​​e sustentáveis, buscando o uso preferencial de matérias-primas mais acessíveis e abundantes na região. A estrutura em madeira laminada colada (MLC), estrutura metálica e estrutura de madeira foram escolhidas como sistemas construtivos para novas construções. Os telhados verdes, o piso de drenagem modular, o cimento queimado e o piso em madeira certificada e tratada são exemplos de acabamentos adotados. Soluções estratégicas para saneamento, drenagem, abastecimento e resíduos também foram propostas.

Confira a matéria, na íntegra, em espanhol: https://goo.gl/YTcmYx

Imagem: Natureza Urbana

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
0 comentários ‹ Voltar

Você precisa fazer o para publicar um comentário.

Aguarde...