Notícias

Parceria promove curso de capacitação para servidores do ICMBio

Com o objetivo de propagar experiências de parcerias e melhores práticas apresentadas no III Seminário de Boas Práticas e I Fórum Internacional de Parcerias na Gestão de Unidades de Conservação, apresentamos a boa prática “Curso e Força-tarefa de Demarcação da Reserva Extrativista do Cazumbá-Iracema – um experiência de capacitação em serviço na área de georreferenciamento de imóvel rural”. Essa iniciativa é fruto da parceria do ICMBio, IBAM (unidade executora do projeto Parcerias Ambientais Público-Privadas – PAPP), e IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas. Acompanhe!

A parceria com a Associação dos Seringueiros do Seringal Cazumbá, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), a Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Acre e a Fundação Nacional do Índio (Funai), e o apoio financeiro do  Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) e do Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento (PNUD BRA-08/023), fizeram com que o ICMBio conseguisse promover um curso prático de georreferenciamento e demarcação de Unidades de Conservação (UC), voltado, principalmente, para fiscais de contrato por conta da lacuna de mão de obra para a realização destas atividades.

O curso foi oferecido por conta da observação dos gestores de alguns problemas com relação ao georreferenciamento e demarcação de UCs, a saber: as especificidades técnicas e a dificuldade de georreferenciamento em áreas de proteção ambiental, de enormes dimensões territoriais, em locais remotos e de difícil acesso; a necessidade de um corpo técnico especializado de profissionais do instituto, não apenas para executar esse tipo de serviço, mas principalmente para avaliar e fiscalizar o trabalho realizado por parceiros e ou empresas contratadas; e o alto custo da contratação por terceiros.

A convergência da demanda de um curso vivencial que apresentasse os desafios do georreferenciamento e demarcação em uma grande área de difícil acesso na Amazônia à necessidade de georreferenciar limites internos e externos da Reserva Extrativista (resex) Cazumbá-Iracema, no Acre, aliado à disponibilidade de recursos do ARPA e do PNUD, foram os elementos necessários para colocar em prática a ideia de realização de um “curso força-tarefa” de georreferenciamento de imóveis e demarcação de unidades de conservação na resex, como explica a servidora do ICMBio, Carla Michele Lessa:

– Esta prática teve como principais objetivos identificar, treinar e capacitar servidores do ICMBio e instituições parceiras para atuarem como especialistas em georreferenciamento de imóveis, tanto para o planejamento quanto para a execução direta; publicar manual com orientações técnicas e logísticas de campo; apresentar alternativa técnica e financeiramente viável para sobrepor a contratação de empresa especializada em georreferenciamento, sempre que viável, oportuno ou necessário; fortalecer a parceria com o Incra; promover a participação e envolvimento das comunidades locais e agilizar o processo de emissão do  Contrato de Concessão de Direito Real de Uso (CCDRU) da Resex Cazumbá-Iracema, diz.

Dentre os aprendizados que o instituto extraiu dessa prática destaca-se a busca de alternativas criativas e parcerias para as limitações da estrutura e restrições orçamentárias do ICMBio, de acordo com a servidora: “Percebemos que vale a pena estudar opções internas e parcerias antes de contratar uma empresa para realizar determinado serviço e que precisamos melhorar a nossa prática de campo com melhor planejamento e regras claras de logística e segurança. Ademais, percebemos que o ICMBio ainda precisa conhecer melhor as suas Unidades de Conservação, promovendo expedições e incursões (não apenas com a finalidade de pesquisa ou Plano de Manejo), para possibilitar a integração de diferentes processos do ICMBio”, finaliza.

Foto: Rubens Matsushita

Para acompanhar todas as notícias sobre parcerias público-privadas, curta e siga a nossa página no Facebook aqui!

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
0 comentários ‹ Voltar

Você precisa fazer o para publicar um comentário.

Aguarde...